Jorginho Mello veta R$ 58 Milhões para ações de combate a enchentes no Vale do Itajaí

Por douglas wiggers em 23/01/2024 às 09:54:42

Jorginho Mello veta R$ 58 Milhões para ações de combate a enchentes no Vale do Itaja√≠

O Governo de Santa Catarina, por meio de despacho publicado em 12 de janeiro, rejeitou a inclusão de R$ 58,6 milhões no Orçamento do Estado de 2024 destinados a iniciativas de combate a enchentes no Vale do Itaja√≠. A decisão, assinada pelo governador Jorginho Mello (PL), resultou na recusa de pelo menos 15 emendas propostas por deputados estaduais, as quais visavam aumentar os recursos previstos para a construção de novas barragens, melhorias em estruturas j√° existentes e desassoreamento de rios.

O veto governamental ocorre em um cen√°rio que se desenha menos de dois meses após Santa Catarina enfrentar uma das maiores crises clim√°ticas de sua história. Entre outubro e novembro do ano passado, 209 munic√≠pios catarinenses foram impactados por fortes chuvas, levando 195 prefeituras a decretarem situação de emerg√™ncia e outras 14 a declararem estado de calamidade p√ļblica, especialmente no Alto e Médio Vale do Itaja√≠.

O deputado estadual Napoleão Bernardes (PSD), autor de oito das emendas rejeitadas, expressou seu lamento diante da decisão. Ele destaca o desrespeito percebido para com os mais de 1 milhão de habitantes do Vale do Itaja√≠, citando as cidades de Rio do Sul, Taió e Brusque como exemplos dos impactos de uma infraestrutura cada vez mais deficit√°ria. Bernardes enfatiza a necessidade de aumentar o orçamento para ações de defesa civil e mitigação de cheias.

Diante do agravamento dos efeitos das mudanças clim√°ticas, o parlamentar alerta para a prioridade no tratamento do tema e aceleração dos investimentos em projetos estruturantes. Ele ressalta que o plano desenvolvido pela Ag√™ncia de Cooperação Internacional do Japão (JICA), considerado estratégico para a prevenção de enchentes na região, est√° engavetado h√° mais de uma década.

"Neste momento, não temos garantia alguma de que esses projetos sairão do papel. Ações fundamentais, como a implantação de barragens em Mirim Doce, Petrol√Ęndia e Braço do Trombudo, a construção do canal extravasor do Salto Pilão e a dragagem e desassoreamento de rios, constam com previsão orçament√°ria simbólica de apenas R$ 10 mil. Tentamos, por meio das emendas, aumentar substancialmente esses valores, contudo, lamentavelmente, elas foram rejeitadas", explica Bernardes.

O deputado ressalta que avaliar√° detalhadamente as razões dos vetos do governador para definir as medidas que adotar√° na retomada dos trabalhos legislativos, marcada para a primeira semana de fevereiro. "A cobrança precisa ser firme, porque o que est√° em jogo é a vida e o patrimônio de milhares de catarinenses. Com certeza, a Bancada do Vale do Itaja√≠ tratar√° deste assunto com a urg√™ncia e a seriedade que ele merece".

Fonte: Rede Catarinense de Notícias

Comunicar erro
Milur Modas
Cipriani Multimarcas

Coment√°rios

Ponto Com
Ponto Com
Papillon